Livros > Resenhas

O Rio que é verde

Eu sou carioca e, como muitos outros um apaixonado pelo Rio de Janeiro. Considero essa cidade um estúdio aberto de fotografia – para brasileiros e turistas de todo o mundo. E hoje destaco um livro que vai além das fotos e dos cenários conhecidos: “O Rio que é verde”. Uma obra que não apenas nos mostra o Rio de Janeiro por belas fotos, mas por ângulos diferentes e nos relembra os motivos pelos quais morar aqui é tão bom.

Não é toda cidade que pode apresentar tantos parques naturais e construídos como o Rio. E ao pegar esse livro eu tive acesso a um Mapa de Parques, devidamente localizados no Rio de Janeiro. Sinceramente, há muito que não me lembrava de alguns lugares e foi então que “O Rio que é verde” me conquistou e agora indico a todos os leitores que gostam dessa cidade e apreciam a natureza e sua arquitetura.


As fotos são acompanhadas de breves textos com informações e dados sobre cada parque e espaço, que certamente o leitor não tem conhecimento ou ficou guardada em algum canto de sua memória carioca.

Lugares mais conhecidos e badalados entre nós como o Passeio Público, Jardim Botânico e Aterro do Flamengo são reapresentados ao lado de outros que, francamente, eu tive vontade de revisitar e me apropriar como: Parque do Grajaú; fazer uma trilha refrescante na Floresta da Tijuca, ir até o Parque Penhasco dois Irmãos e ver Leblon e Ipanema lá de cima; rejeitar a distância e dar um mergulho na Prainha, área de proteção ambiental; visitar a Quinta da Boa Vista e me encantar novamente com sua história e seus relevos criados por Auguste François Marie Glaziou, paisagista da Família Imperial; o Campo de Santana que já foi de pasto e abate de gado a palco da Revolta da Vacina.

 

Parque Penhasco Dois Irmãos


Bem, “O Rio que é verde” me deu vontade de sair por aí e visitar alguns parques ainda não visitados por mim como Chico Mendes e Professor Mello Barreto, e andar por outros que há tempos não vou por me achar numa rotina tomada por afazeres.

 

 

Parque Chico Mendes


Mais que um livro de fotografia, é um livro que nos mostra o constante encontro da cidade com sua natureza, das linhas traçadas por arquitetos e paisagistas com a necessidade  histórica de trazer o verde para viver perto de nós, nos fala de como somos abençoados por ter tantos espaços verdes, livres e urbanos tão perto.

 

 

Floresta da Tijuca


Uma obra para arquitetos, fotógrafos, urbanistas, historiadores, curiosos, produtores e principalmente para: os apaixonados pelo Rio de Janeiro.

Merece um lugar na sua estante.

 


Data: 08 agosto 2016 (Atualizado: 08 de agosto de 2016) | Tags: Uncategorized


< Fim Hotel Savoy >
O Rio que é verde
autor: Juliana de Carvalho
gênero: Uncategorized;

gostou? compre aqui

compartilhe

     

você também pode gostar

Resenhas

Amor Liquido

Vídeos

2019: uma lista de bons livros para ler!

Vídeos

Psicologia das Multidões