Livros > Resenhas

Eyemazing: the New Collectible Art Photography'

 EYEMAZING: The New Collectible Art Photography' é um livro oriundo de uma revista com o mesmo nome, a Eyemazing, que ocupa a vanguarda da fotografia contemporânea internacional. O livro celebra o aniversário de dez anos dessa revista, reunindo uma coletânea de imagens de cento e trinta fotógrafos com o que de melhor a revista já publicou. Para aqueles que não a conhecem, Eyemazing é uma revista respeitadíssima no mundo da fotografia, dirigida por Susan Zadeh, uma das mentes mais brilhantes e originais no mundo da fotografia de hoje. Uma revista premiadíssima, agora em forma de livro.

Este livro é o resultado de dez anos de sucesso dessa grande revista. Confesso que não consigo imaginar as dificuldades que devem ter sido unificar milhares de imagens de todas as edições anteriores para acabar em um livro de primeiríssima qualidade. Falo partindo da premissa da enorme qualidade dos artistas que publicam suas fotografias nessa revista. Isso me faz remeter a Polônio, personagem de Hamlet, quando diz: "Though this be madness, yet there is method in it" (apesar disto ser loucura, há nela algo de metódico) - Acto 2 ,  Cena II.

As imagens nos remetem a algumas temáticas: Sonhos e Memórias de vidas passadas evocam o papel dos sonhos e da memória em nossas experiências com o real. Encurralados que somos ao nosso corpo, nosso lar, somos produtores de mitos, sonhos, arquétipos, e metáforaa,tudo isso nos é revelado nesse livro. Uma mulher bem vestida sozinha à mesa, um vazio à sua frente. Do lado de fora, no quintal, um homem fantasmagórico observa da janela a imagem. Quem será esse espectro? Um sonho? Algum familiar falecido? Ou quem sabe apenas um outro fantasma sentado à mesa?

Atrás de cada foto encontra-se uma história comum em tempos loucos, espírito de época, espírito do tempo, ou sinais dos tempos? Esse olho infalível para imagens estranhas e controversas, que nos afetam e nos revelam. Fotógrafos que são verdadeiros escultores de sombras, que captam as particularidades. Assuntos em completa escuridão. Mito e realidade fotografados revelando uma universalidade em cada particularidade. No retrato de William Ropp, uma velha tem uma pequena foto de uma bela jovem, talvez seja a sua juventude obscurecida numa sombra. Afinal, qual ser humano, quando chega a uma determinada idade,não tenha experimentado essa sensação da juventude perdida e aproximação da morte?

A morte e a perda, amor e esperança, a doença e a enfermidade, temas atemporais da humanidade. Muitas vezes repelentes (mas sem perder a beleza), a maioria das imagens permite ao espectador um olhar sobre a alma tanto do fotografado como do fotógrafo, capturados naquele momento. Espectador, fotógrafo e o fotografado, uma espécie de ménage à trois onde todos capturam o tempo.

As fotografias selecionadas mostram o chocante, o surreal; são de tirar o fôlego. Em essência, definem as mais variadas possibilidades da fotografia de arte contemporânea. Eyemazing é conhecida por descobrir novos talentos, influenciando galerias e colecionadores.

Nomes desconhecidos entre nós como Andrew Polushkin, Anna Block, Anne Arden McDonald, Antoine d’Agata, Arslan Ahmedov, Isa Marcelli, Joel-Peter Witkin, Katia Chausheva, Lauren Simonutti, Marcin Owczarek, Michael Ackerman, Sally Mann, ou Thomas Devaux, entre muitos outros. Ao todo 130 fotógrafos, divididos em dois conjuntos temáticos de fotografias intitulados “Dreams and Memories of a Past Life” e “Our Body, Our Cage” e  “Our Body influential image makers of our time”

Algumas coisas, relativas à arte, confesso que não fazia a mínima ideia que pudesse existir. Vermeeer utilizou uma câmera obscura como uma ajuda para o seu processo. Para investigar as pinturas de Vermeer, Kilsby usa a lente de sua própria câmera, fazendo suas próprias escolhas para mediar o mundo, brincando com o foco, composição e luminosidade, homenageando, assim, o grande mestre Vermeer.  A partir da tela “A Criada de Cozinha”, de Vermeer, que retrata a criada derramando leite em uma tijela de barro, Paul Kilsby - um dos grandes talentos que estão nesse livraço – mistura fragmentos de pintura do século XVII com objetos reais.

Informações valiosas e os contextos das imagens, as mais variadas mídias de impressão, colagens, artistas maravilhosos com uma habilidade técnica para pontuar o comum e nos mostrar o extraordinário. Através de uma imagem após a outra, encontramos o uso de fronteiras indistintas, sobreposições e imagens fantasmagóricas e mistério - absurdo para invocar o sonho, ou se preferirem, um espaço onde a verdade e a ficção se misturam.

Eyemazing foi o livro de fotografia contemporânea mais incrível que eu já vi em toda a minha vida. Um livro daqueles de tirar o fôlego. Um livro de arte que merece um lugar em sua mesa e na sua estante. E tenham todos uma boa viagem nessa galeria especialmente preparada para você, amigo leitor.


Data: 08 agosto 2016 (Atualizado: 08 de agosto de 2016) | Tags: Fotografia


< Doutor Pasavento Pastoral Americana >
Eyemazing: the New Collectible Art Photography'
autor: Vários
editora: Thames &Hudson
gênero: Fotografia;

compartilhe

     

você também pode gostar

Resenhas

Genesis

Resenhas

Graffiti

Resenhas

André Kertész